Após seleção para o programa Ecco Comunidades, Lemobs inicia implementação de piloto em Dourados

Compartilhe este post

A Lemobs foi uma das cinco empresas selecionadas pelo programa Ecco Comunidades, lançado pelo Instituto BRF em parceria com as organizações Quintessa e Prosas. Nossa solução de Alimentação Escolar Inteligente (AEI) oferece inovação e tecnologia para reduzir perdas e desperdícios de alimentos nas escolas da rede pública dos municípios e estados.  

Estamos trabalhando na implementação de um projeto piloto na Escola Municipal Indígena Tengatuí Marangatú, na Aldeia Jaguapiru, Reserva Indigena de Dourados, no Mato Grosso do Sul. Nosso objetivo é usar o AEI para otimizar os processos da alimentação escolar com foco no enriquecimento nutricional e redução do desperdício.  

A inovação do sistema AEI é disponibilizar ferramentas de elaboração de cardápios que facilitam a adequação nutricional e utilizam um banco de fichas de preparo para diversificar as refeições priorizando produtos da agricultura familiar e respeitando as regras do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). O cálculo da lista de alimentos é automático considerando o cardápio, o número e a faixa etária dos alunos. No piloto, também serão feitas capacitações dialogadas com as cozinheiras para uso das fichas de preparo e cálculo do volume de ingredientes,  aproveitamento integral dos alimentos, separação do lixo orgânico e resgate de hábitos alimentares das culturas Guarani Kaiowá, Guarani Ñandéva e Terena, presentes na reserva Jaguapiru. 

A reserva indígena apresenta um dos mais altos índices de densidade demográfica entre as reservas indígenas do Brasil. Serão beneficiados 970 alunos de 4 a 16 anos da Pré-escola, Ensino Fundamental I e II. Para a maioria dos alunos a refeição na escola é a principal refeição do dia.

 Nas palavras de Sérgio Rodrigues, fundador e CEO da Lemobs, “Nossa solução de Alimentação Escolar Inteligente (AEI) aplica inovação e tecnologia para melhorar a gestão dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Entendemos que as escolas devem ser uma prioridade no esforço para reduzir o desperdício de alimentos e enfrentar a fome e a insegurança alimentar no Brasil.“

Em Dourados, o Professor indígena Cajetano Vera, pesquisador universitário, membro do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) e coordenador do projeto “Casas de Semente Crioula”, demonstrou interesse desde o início e possibilitou a participação da Escola Tengatuí no Programa Ecco Comunidades. Outra figura central é a nutricionista responsável pela alimentação escolar no município de Dourados, Denize Leise, que tem apoiado a implementação do piloto disponibilizando as informações sobre cardápios e os alimentos entregues na escola pelo município.

Recebe novos posts em seu email

Veja mais