Orientações específicas aos administradores de edifícios

A Universidade Federal de Santa Catarina também está contando com nossas soluções de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Situação

Todos os anos, em Santa Catarina, o aumento no número de focos do mosquito da dengue é registrado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE). No ano de 2018, foram registrados 16.005 focos do mosquito e 60 casos de dengue no estado. Na UFSC, de 2015 a 2018 foram registrados 10 focos positivos. Em 2019, até abril, foram registrados 6 focos do mosquito*.

O que fazer?

Para evitar a proliferação do mosquito é necessário realizar vistorias semanais em busca de recipientes que possam acumular água no seu local de trabalho (área interna e externa). Além disso, deve-se anotar as vistorias no portal Sigelu (https://aedes.sigelu.com/), registrando os locais vistoriados e o número de focos.

Para eliminar o mosquito na UFSC, é importante:

  • Manter as calhas desobstruídas;
  • Verificar periodicamente e remover a água acumulada em drenos de condicionadores de ar e bandejas de geladeira;
  • Verificar se as caixas d’água estão corretamente fechadas;
  • Promover o descarte correto do lixo e solicitar o serviço de limpeza quando necessário;
  • Verificar e eliminar água acumulada em bromélias;
  • Colocar areia nos pratos de plantas;
  • Fiscalizar obras para evitar o acúmulo de entulhos;
  • Conscientizar colegas de trabalho sobre o combate ao mosquito;
  • Comunicar às chefias a necessidade de providências administrativas.

Leia a matéria na integra acessando o portal da UFSC clicando aqui

Veja mais

Fechar Menu